Dicas de Leitura

data12/12

Ter ou Ser? Erich Fromm

Ter ou Ser? Erich Fromm Ed.: LTC Nascido em 1900, em Frankfurt, Alemanha, Erich Fromm estudou Psicologia e Sociologia em Heidelberg, Frankfurt e Munique. Doutorou-se em Filosofia em Munique e recebeu sólida formação psicanalítica no Instituto Psicanalítico de Berlim. A partir de 1933, ano da ascensão de Hitler ao poder, passa a exercer o cargo de professor nos EUA, em Chicago, e, posteriormente, a exercer a clínica em Nova York. Foi professor em várias universidades, inclusive no México. Os seus livros passaram a tratar de questões humanistas que atraíram a atenção de profissionais de vários campos, como Sociologia, Filosofia e Teologia. De certa forma, muitas de suas idéias foram contemporâneas das abordagens de Carl Rogers (pedagogia anti-autoritária) Escreveu várias obras, entre as quais se destaca “Ter ou Ser”, e “Psicanálise da Sociedade Contemporânea”. Fromm sempre se mostrou profundamente impressionado pelo que ele via como uma poda da liberdade humana, pelo modo como as pessoas se submetiam, inconscientemente, a desempenhar papeis mecânicos dentro da sociedade capitalista. O tema central da obra de Fromm é profundamente humanista, ou eco-ético-humanista: o homem sente-se desamparado, porque se separou ou deixou de desenvolver suas qualidades, potencialidades mais propriamente humanas e deixou, por isso mesmo, de ter contacto com as mesmas potencialidades e natureza das demais pessoas. Esta situação de alienação social é uma característica trágica e que se encontra apenas entre os seres humanos, especialmente quando as condições materiais criam uma hierarquia de dominação. Num de seus livros mais famosos, Medo da Liberdade, Fromm propõe a tese de que o homem, paralelamente à liberdade material que tem conquistado através da história, tem-se isolado cada vez mais de seus semelhantes, na busca por espaço e sucesso material. E, paradoxalmente, a mesma liberdade material torna-se uma condição que assusta, e do qual tende a escapar, refugiando-se em situações de posse e de poder, ou de submissão passiva às autoridades e/ou de conformação à sociedade, o que lhe daria a ilusão de 'TER' algo, ou de 'PERTENCER' a algo que lhe permita sentir-se menos só. Como opção mais saudável, haveria o reconhecimento da riqueza do 'outro' e da importância da cooperação e da solidariedade, num espírito de fraternidade onde o bem-estar social deveria ter a primazia, garantindo o bem-estar individual. Neste caso, a criatividade e as potencialidades humanas seriam usadas para sedimentar a liberdade co-responsável dentro de uma sociedade equilibrada. Caso contrário, o homem construiria um novo tipo de servidão, aliás, bem conforme às idéias do neoliberalismo e da globalização, extremamente selvagem na sua ganância de lucro e anulação do homem, enquanto indivíduo criativo. Como base nisto, Fromm aponta o fato de que somos, ao mesmo tempo, animais e humanos, com necessidades fisiológicas importantes e imprescindíveis que precisam ser satisfeitas, assim como temos consciência, razão e compaixão, que precisam de ser exercitadas. Assim, no reconhecimento do humano dentro e ao lado das necessidades básicas, levaria a sociedade madura a perceber que a solução de seus conflitos está no reconhecimento de que as nossas necessidades todas, inclusive as humanas, exigem a participação de todas as demais pessoas. O leitor vai se surpreender que este livro “Ter ou Ser?” continua a ser extremamente atual e necessário. Leitura obrigatória para todos que trabalham com educação seja nas Igrejas ou nas Escolas.

Deixe um comentário

voltarlista de posts

 

Sobre "Dicas de Leitura"

A cada semana, o Padre Beto posta sua análise sobre algum livro lido durante este período.

RSSAsssine o RSS desta sessão

Quer receber automaticamente as autalizações? Saiba mais mais